Artigo: Amastha - Mais do mesmo

Doação de salário do prefeito
*Por Pedro Ferreira

Apresentando-se como uma novidade no processo político de 2012 como uma alternativa diferente aos demais candidatos a prefeito de Palmas e com um discurso de que faria uma gestão diferente das anteriores, Carlos Amastha do PP desde o primeiro momento mostrou a que veio.
O candidato que incorporou na sua campanha o discurso de mudanças e que veio de encontro com o sentimeto de uma população cansada e desiludida com os políticos tradicionais do Tocantins, população esta que elegeu Amastha com a ilusão de que Palmas viveria um novo período.
Sim Palmas esta vivendo um novo período de abandono da população, da educação, da saúde, do transporte público cada vez mais caótico e caro. De favorecimento dos grandes empresários e criminalização dos trabalhadores autônomos. Do aprofundamento da logica empresarial na administração pública, tanto que foi criado um conselho empresarial para elaborar políticas que deveram ser executado pela prefeitura.
O critico feroz ao Siqueirismo cada dia tem rasgado elogios a este e conta com o apoio do mesmo na sua administração. O que levou o seu vice Deputado Sargento Aragão um antisiqueirista ferrenho a romper com Amastha. A base de apoio do seu governo é ampla e mostra que o mesmo em nada rompeu com os políticos tradicionais tocantinenses. Além de Siqueiristas, Amastha conta com o apoio do PMDB e agora mais recente com o PT. PT que após passar 8 anos usurpando dinheiro dos cofres públicos, retornar a comandar a pasta da saúde no governo Amastha.
Demagogo e populista Amastha mensalmente faz questão de chamar a mídia para presenciar a cerimonia da doação do seu salario para ONGs. Querendo convencer a população que esse gesto faz dele um político diferenciado. No entanto que a população não se iluda, pois o salario de prefeito é irrisório diante dos benefícios que ele pode obter mudando e flexibilizando leis que favorecem única e exclusivamente o setor empresarial, que nada é mais do que favorecer a se mesmo, já que é um grande empresário.
Enquanto muitos aplaudem a doação de salario do prefeito, que é doado com o acordo de que sejam retribuídos com apoio a seu governo. Não veem a entrega dos bens públicos, que a todos nós pertence para iniciativa privada, em uma parceria que só um lado ganha, e não é o do povo.
Recentemente querendo surfa na onda da mobilização pelo fim do monopólio do transporte coletivo de Palmas que será realizado nesta quinta-feira (20/06) na praça dos Girassóis, Amastha fez duras declarações sobre a péssima qualidade do serviço prestado a população, inclusive confirmando sua presença no ato.
Ora se o prefeito que não utiliza o transporte coletivo da capital não esta contente imagine a população que depende desse serviço. Alias por que em vez disso o prefeito não suspende imediatamente o contrato com a empresa que presta o serviço na capital e reduza a tarifa?
*Educador e assessor de Movimentos Populares, militante do Bloco de Resistência Socialista e do Partido Socialismo e Liberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário