Balanço das analises de conjuntura politicas de Lajeado


Se o presente é de luta, o futuro nos pertence.”
Ernesto Che Guevara
Analise de conjuntura politica não é um exercício de adivinhação e nem tão pouco uma ciência exata. Logo podemos afirmar que ela não se fundamenta no senso comum e nem muito menos numa visão cientificista. Utilizamos sim do método teórico das ciências sociais críticas da sociedade capitalista e da prática a partir da militância junto ao movimento popular. É exatamente por isso que as nossas analises de conjuntura politicas de Lajeado e do Tocantins tem se mostrado acertadas. Segundo Luiz Eduardo Prates da Silva “O ponto fundamental da analise deverá ser uma avaliação da realidade com a finalidade de fornecer elementos para um julgamento das práticas assumidas pelo grupo no sentido de sua pertinência e eficácia transformadora. Objetiva ainda, traçar as táticas que esta realidade requer. Por isso, ainda que a analise não seja neutra, ela deverá ser objetiva”. E nesse sentido o Coletivo José Porfírio tem se tornado uma referência não só no campo da ação prática, mas, sobretudo na elaboração teórica. Logo esse breve balanço das analises de conjuntura politicas de Lajeado tem como objetivo mostrar a confirmação das analises anteriores bem como apontar perspectiva para luta popular no próximo período no município de Lajeado.
Campanha eleitoral no município
Apontamos em um artigo antes da campanha eleitoral – onde fizemos uma caracterização dos candidatos e dos projetos políticos que eles representavam. Que esta seria uma das eleições mais disputadas do município e de fato isso se confirmou – a diferença do prefeito eleito (Tércio/PSD) para o segundo colocado (Junior Bandeira/PSB) foi de apenas 13 votos. Falamos também de qual grupo pertencia cada candidato e o projeto que cada um representava e durante a campanha isso ficou bem mais claro – por exemplo, que Bandeira era um representante das velhas oligarquias da cidade e de que Tércio era bancado por um novo grupo politico que nasceu a partir da primeira eleição da prefeita Márcia Reis. Também dissemos que poderia surgir alguma novidade durante o processo, mas nada que mudasse o quadro politico na cidade e isso de fato se confirmou – as novidades que surgiram durante o processo não evitou a polarização entre Tércio x Junior Bandeira. E por fim a vitória do grupo politico da situação – a terceira vitória eleitoral seguida desse grupo sobre o grupo comandado por Junior Bandeira.
Uma vitória com v minúsculo: Mesmo com a vitória de Dr. Tércio a maioria dos Lajeadenses disse “Não” a atual gestão e ao candidato da situação.
Drº Tércio   
A vitória do Dr. Tércio por apenas 13 votos de diferença do segundo colocado mostra claramente que o atual grupo politico que comanda o município esta se enfraquecendo. Aliás, se somado os votos de Junior Bandeira, Jaime e Luiz Carlos veremos que a maioria da população lajeadense votou contra o grupo politico que esta no poder. Enquanto Dr. Tércio obteve 1.382 a oposição teve 1.631. E se ainda somarmos os votos brancos e nulos que foram num total 108 essa diferença se amplia. Percebemos então que a maioria do povo lajeadense é contra a atual administração da prefeita Marcia Reis (PSD) e do seu pupilo politico. Logo podemos concluir que a vitória do PSD e partidos aliados em Lajeado se deu mais por incompetência dos seus adversários, pela falta de unidade da oposição do que pela vontade da maioria da população.
Oposição sai fortalecida do processo eleitoral em Lajeado
O resultado nas urnas nos mostra claramente o que víamos sentido nas ruas – a oposição sai fortalecida do processo eleitoral. E mesmo não tendo ganhado a disputa para comandar a gestão municipal – obteve a grande maioria dos votos, como também conseguiu eleger três vereadores. Número que pode mudar dependendo das investigações da policia federal. Logo podemos dizer que a gestão do Dr. Tércio não será nem um pouco tranquila. Além do fato de que há o risco dele se quer assumir e se assumir não é garantia de que chegará ao fim do mandato. E se acaso conseguir chegar ao fim do mandato a oposição tem um papel importante no sentido de garantir que a prefeitura e o dinheiro público que entra no município não sejam desviados pelo ralo da corrupção. Para tanto é preciso que não ocorra como em outras situações onde membros da oposição acabam se vendendo para aqueles que estão no poder. Se isso acontecer à população tem um papel fundamental no sentido de cobrar e fiscalizar as ações tanto do executivo como do legislativo. E não temos nenhuma duvida disse, pois esse processo eleitoral nos mostrou uma população lajeadense muito mais consciente e exigente e tal fato se refletiu na eleição para câmara de vereadores do município.
Renovação de mais de 60% na câmara de vereadores de Lajeado
Apenas três dos atuais vereadores do município de Lajeado foram reeleitos – Adão Tavares (PTN), Edilson Mascarenhas (PTB), e Emival Parente (PDT). Os outros seis foram eleitos pela primeira vez – André Portilho (PRP), Leidiane Mota (PSD), Meire Ângela (SD) Walber Pajéu (PSDC), Oscar (DEM), e José Edival (PMDB). Sendo que seis destes vereadores foram eleitos na chapa da situação e três foram eleitos na chapa da oposição. Mesmo sendo minoria a oposição pode desempenhar um papel importante no sentido de vigiar para que o prefeito não enfie goela abaixo da população medidas que não corresponde aos anseios do povo. É claro que para tanto não pode passar para o lado da situação, fato que ocorreu na atual legislatura. Se isso ocorrer à oposição estará dando um tiro no próprio pé. Pois um dos motivos por tamanha renovação na câmara de vereadores foi pelo fato de que a atual legislatura não tinha nenhuma independência em relação ao executivo municipal – denunciamos em diversos artigos essa falta de autonomia da câmara de vereadores em relação à prefeitura. Com isso até mesmo os vereadores eleitos na chapa da situação devem ficar atentos. Outra questão que destacamos é o fato de que a futura legislatura que se inicia em 1º de janeiro terá uma maior representatividade de mulheres e de jovens – aliás, em comparação aos atuais vereadores, podemos dizer que a câmara de vereadores de Lajeado vai se rejuvenescer. Nesse sentido chamamos atenção também para o alerta que fizemos antes das eleições a cerca da necessidade de uma maior participação das mulheres e da juventude na politica local. Mas não nos iludamos, nem tudo são flores – a diferença de representatividade entre homens e mulheres ainda é muito grande bem como a representação da juventude. Outro fato é que as famílias tradicionais do município continuam tendo uma grande influencia na eleição para câmara de vereadores – é o que vemos, por exemplo, na eleição de figuras como Emival Parente, André Portilho, José Edival e Adão Tavares.
Os dados ainda estão rolando
Em uma conjuntura cada vez maior de judialização da politica não poderia ser diferente em Lajeado. O que quer dizer que o resultado das eleições no município pode sofrer algumas mudanças. Foi o que vimos, por exemplo, no episodio em que modificou os eleitos para câmara de vereadores de Lajeado – inicialmente a oposição havia elegido quatro vereadores, mas com a justiça deferindo a candidatura de um vereador da situação – a oposição perdeu uma cadeira. O candidato a vereador Washington (PSL) havia sido eleito pelo fato de que o vereador Nani (PPS) estava com a candidatura indeferida, um dia após as eleições a justiça deferiu sua candidatura e seus votos acabaram contribuindo para que o vereador Oscar (DEM) tomasse a vaga de Washington. No entanto esse episódio não esta superado. Há também as investigações da Policia Federal que pode cassar o mandato de vereadores eleitos pela chapa da situação. Logo percebemos que o jogo não acabou, pois os dados ainda estão rolando.
A futura administração do Dr. Tércio
Tal como já escrevemos em artigos anteriores – A mudança à frente da prefeitura municipal de Lajeado é apenas de nome. Pois o projeto será um projeto de continuidade do mesmo grupo politico que esta a frente do executivo municipal desde 2009. Logo não dá para esperar grandes mudanças. E durante a campanha eleitoral isso ficou claro através das propostas apresentadas pelo Dr. Tércio, aliás, a falta de propostas. Assim o que podemos esperar é o discurso da falta de recursos, de que o Brasil está em crise, à maquiagem da sujeira deixada pela gestão atual e muita festa para tentar adoçar a boca da população, população que já não esta tão ingênua assim.
Operação “Colheita” da Policia Federal em Lajeado e o futuro politico
Doação de área pública em troca de apoio político
A operação da policia federal no município de Lajeado para investigar os desvios da gestão municipal no ultimo período mostrou, sobretudo para as autoridades politicas lajeadense que Lajeado não é uma terra sem leis – onde vereadores e prefeitos podem fazer o que bem entender. Nós do Coletivo José Porfírio que denunciamos a doação de lotes em troca de apoio politico desde 2013 não pudemos deixar de comemorar. Esperamos, no entanto que as investigações continuem e que os culpados sejam punidos. A nossa luta é, sobretudo por uma reforma urbana de fato no município – que lotes e casas populares sejam dadas para quem de fato precisa. Assim é preciso que todos os lotes que foram doados de forma indevida sejam tomados e redistribuídos para as pessoas que há vários anos estão esperando ser contempladas com um lugarzinho para morar. Por outro lado não basta sair doando lotes a torto e a direito, é necessário que antes se garanta o mínimo de infraestrutura para que essas áreas de expansão urbana sejam ocupadas. Por fim queremos deixar o nosso apoio incondicional a operação “Colheita” da Policia Federal e dizer que o Coletivo José Porfirio continuará lutando contra a corrupção no município de Lajeado e pelos direitos do povo lajeadense.
O Coletivo José Porfírio e as perspectiva para construção da luta do movimento popular em Lajeado
O Coletivo José Porfírio nasceu em 2013 a partir dos anseios de jovens educadores populares que buscam através da luta anticapitalista a superação do modelo hegemônico no Tocantins pautado no avanço do agronegócio e na privatização dos bens públicos. Como um coletivo de educadores populares nossa atuação sempre se deu do local para o geral. Nesse sentido desde o nosso surgimento a cidade de Lajeado tem sido o local onde temos travado nossas principais batalhas. E apesar do pouco tempo de existência é inegável que hoje somos uma referência tanto em Lajeado como em todo o Tocantins. Tanto pelo trabalho de formação que fazemos – das lutas que travamos e do trabalho de elaboração teórica e sistematização de experiências. E com isso temos obtido importante vitorias. E nos orgulhamos de ser uma organização verdadeiramente independente de patrões, governos e partidos políticos. Nosso compromisso é unicamente com o povo trabalhador do campo e da cidade – tanto no interior como na capital. Diante disso queremos reafirmar o compromisso de continuarmos entrincheirados na luta anticapitalista em Lajeado e em todo o Tocantins e por fim fazemos um chamado àqueles que não concordam com o modelo hegemônico vigente na cidade de Lajeado e no Estado do Tocantins a se somarem com a gente e juntos vamos construir um novo modelo de desenvolvimento nessa terra. Em Lajeado fazemos esse chamado, sobretudo aos 108 que votou nulo ou em branco nas eleições municipais mostrando claramente o seu descontentamento com a politica local. Através da luta popular, da organização do povo trabalhador, nós temos todas as condições de transformar a realidade do município e do Estado do Tocantins.


Pedro Ferreira Nunes
Pelo Coletivo José Porfírio
Lajeado – TO. Lua Nova – Inverno de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário