Poema: Farinhada

Levantar bem cedinho antes dos primeiros raios de sol,
tomar café com cuscuz,
depois seguir para a roça arrancar mandioca.

Uma parte é colocada de molho em água quente para amolecer,
outras serão raspadas e raladas,
ai é só misturar tudo e por para secar.

Depois é peneirar a massa,
e por o forno para esquentar.
Em seguida põem a massa no forno
para assar.

Enquanto isso na cozinha as camaradas estão com o almoço a preparar.
- Dona Maria o que tem pra almoçar?
- Arroz com pequi, chambari e feijão trepa pau.

Farinhada no norte é um momento de festa,
de juntar toda a família e a vizinhança também
todo o trabalho em feito em mutirão.

Para o campesinato cultivar a terra é uma necessidade,
e não uma obrigação.
Fazer isso coletivamente
Para o camponês é uma satisfação.

Pedro Ferreira Nunes
Casa da Maria Lucia. Lua Cheia – Verão de 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário